Nutricionista do Cliom responde mitos e verdades sobre a alimentação oncológica

May 23, 2018

​​​​

 

 

A nutrição oncológica ainda traz muitas dúvidas para pacientes, onde há uma infinidade de mitos. É preciso estar atento se há perigo nos ensinamentos de parentes, vizinhos e amigos. Uns ensinam sucos, outros chás, afirmando até que podem curar o câncer. Às vezes, as informações divulgadas podem privar o bem estar dos pacientes.

Por isso, a nutriconista do Hospital Cliom, Alzira Dias, esclareceu alguns mitos e verdades sobre a alimentação na oncologia.

 

1 – Alimentação na oncologia precisa ser “comida de doente”?

- Não necessariamente. Para isso, dependendo de cada necessidade, o cardápio pode ser ajustado, tornando-o prazeroso. Em alguns momentos, pacientes são colocados diante de um cardápio que não causa bem estar no seu corpo, quando os ingredientes podem ser saudáveis e gostosos ao mesmo tempo.

 

2 – A graviola cura o câncer?

- Não! Mas, essa fruta, tão falada, melhora a imunidade do paciente em tratamento quimioterápico, além de ser rica nutricionalmente. No entanto, ela não é capaz de curar o câncer.

 

3 – Os chás são aliados ao tratamento? Pode ingerir todos?

- Os que são aliados são os chás de Hortelã, Canela, Boldo, Camomila e o Chá Verde. Porém, antes de consumir esses chás, é necessário conversar com um nutricionista oncológico para indicar o melhor para cada reação, associado ao tipo de tratamento quimioterápico. Chás, apesar de naturais, podem interagir negativamente com medicações. Ou seja, nada de sair usando chás por aí.

 

4 – O gengibre tem mesmo utilidade para o paciente em quimioterapia?

- O gengibre é excelente para menizar náuseas/vômitos. Existem produtos dele que são feitos em cápsulas, mas eu prefiro ele in natura (de forma pura) sendo associados a sucos, tornando-o o seu consumo mais prazeroso.

 

5 – O açúcar alimenta as células de câncer?

- Essa pergunta gera muitas contradições em meio aos pacientes. Na realidade, o açúcar não só alimenta as células de câncer, como todas as demais do nosso organismo. Todos os alimentos se finalizam em açúcar e eu sou adepta ao equilíbrio. Nada de exagerar, principalmente, no açúcar refinado. E se o paciente não for diabético, não vejo necessidade do uso exorbitante de adoçantes.

 

Alzira disse ainda que no mundo atual, onde a mídia é recheada de informações, o ideal é procurar um profissional. “Há muito envolvimento da mídia na cabeça das pessoas. Existe o vizinho amigo, a tia cuidadosa, a mãe superprotetora. Mesmo todos agindo com boa vontade, o ideal mesmo é procurar um profissional qualificado para esclarecer os milhares de entraves".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square