Imunoterapia para o câncer de mama é aprovada no Brasil

 A primeira imunoterapia para o câncer de mama chegou ao Brasil. O novo tratamento, atezolizumabe, do laboratório Roche, foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta semana. A medicação é destinada ao tratamento do câncer de mama triplo-negativo, o mais agressivo da categoria. Agora, o medicamento irá passar pelo processo de precificação, feito pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).


A junção da imunoterapia atezolizumabe com a quimioterapia nab-paclitaxel foi baseada nos resultados do estudo ‘Impassion130’, que demonstrou redução de 38% no risco de progressão e ganho de 10 meses de sobrevida em pacientes com expressão do biomarcador PDL-1. O estudo envolveu 902 pacientes tratadas em 246 centros médicos de 41 países, incluindo o Brasil.


De acordo com o Oncologista do Hospital Cliom, Dr. André Guimarães, a novidade representa um ganho ao arsenal de tratamentos. 


"Antes só tinhamos a quimioterapia para oferecer aos pacientes com câncer de mama triplo-negativo em fase metastática. A imunoterapia, atezolizumabe, mesmo que junto à quimioterapia, já é um avanço. A sobrevida teve um ganho significativo e é mais uma opção para os pacientes", afirmou.  O especialista acrescentou que no momento, há uma paciente do Cliom que é candidata ao novo tratamento.


Ao contrário dos demais tratamentos oncológicos, a imunoterapia não ataca a doença. Ela estimula as células de defesa do paciente a reconhecerem e atacarem as células cancerígenas no corpo. Desde seu surgimento, pacientes com diversos tipos de câncer foram beneficiados.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square