Novembro Azul: Câncer de próstata é assintomático em fase inicial

November 5, 2019

 

O mês de novembro é voltado para a conscientização da importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata. A campanha Novembro Azul visa alertar os homens sobre esse tipo de câncer, que é o mais comum em homens acima de 50 anos. De acordo com o urologista do Hospital Cliom, Welington Porciúncula, o câncer de próstata não pode ser prevenido, no entanto, há chance de cura na maioria dos casos diagnosticados na fase inicial.

 

"A maioria cresce de forma lenta e sem sintomas para o paciente. Por isso é necessária a realização de exames para descobrir a doença no início, que é quando possui mais chances de cura", pontua o urologista do Cliom. Em estágio mais avançado, a doença pode ocasionar dificuldade para urinar, sensação de não conseguir esvaziar a bexiga completamente e presença de sangue na urina. 

 

Segundo o especialista, a doença é mais frequente em homens acima de 50 anos. "Histórico familiar, idade avançada, fatores hormonais e certos hábitos alimentares, como dieta rica em gorduras e pobre em nutrientes, sedentarismo, são elementos que aumentam os riscos do câncer", explica. 

 


Quem deve fazer o exame? 


Para o especialista, as recomendações têm mudado pelo mundo todo. “A  tendência é de individualização para cada paciente do risco de se encontrar mais agressiva. A recomendação atual é o rastreio iniciar aos 50 anos até os 70 anos, considerando também pacientes com uma expectativa de vida maior que 10 anos. Para pacientes com os fatores de risco de antecedente, como familiar de primeiro grau (pai ou irmãos) ou afrodescendência, a indicação é começar mais cedo, ao menos aos 45 anos”, explica. 

 

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que produz e armazena parte do fluido seminal. O câncer de próstata pode ser diagnosticado através do exame físico, que é o toque retal, ou exame laboratorial, que é a dosagem do PSA.

 

“Na prática, o exame diagnóstico definidor é a biópsia que pode ser realizada por via transretal ou transperineal com a análise histopatológica (em microscópio). Por ser um exame invasivo que envolve riscos, o mesmo só é realizado após a suspeita clínica levantada durante o rastreio”, diz o médico. Ele afirma que a necessidade do exame de toque retal é frequentemente questionada pelos pacientes.  

 

“Mesmo com um seguimento de PSA anual, o toque retal é o único indício do câncer de próstata em aproximadamente 17% dos diagnósticos da doença. Assim, mesmo com exames mais modernos, como a ressonância multiparamétrica ou painéis genéticos, esse exame simples, de mínimas complicações e sem custo, ainda tem um papel fundamental no diagnóstico precoce da doença”, explica.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags