No mês da conscientização do câncer de ovário, ginecologista explica como diagnosticar e prevenir a doença

 

 

 

O mês de maio é marcado pelo Movimento de Conscientização Global do Câncer de Ovário. Ainda há uma grande falta de informação sobre a doença e, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são estimados seis mil novos casos no Brasil neste ano.


Esse tipo de câncer é de difícil diagnóstico, como explica a ginecologista do Hospital Cliom, Maria de Fátima Vieira Melo. "É a biópsia que confirma. Para isso, tem que fazer cirurgia. Muitas vezes se descobre a doença tardiamente”, disse.

 

 

O câncer de ovário pode surgir no próprio ovário, como pode ser metástase de outros órgãos. Segundo a ginecologista, não existe causa específica para a doença. 


“Qualquer mulher pode desencadear. No entanto, fatores genéticos, ou antecedência familiar de câncer de mama ou ovário poderá desenvolver”, disse a especialista, que também indicou que a faixa etária de maior incidência é acima de 55 anos. Apesar disso, a doença também pode ser diagnosticada em jovens.

 

A doença não tem sintoma específico, segundo a ginecologista. "No entanto, pode estar associada a dores abdominais, falta de apetite, perda da peso, aumento do abdômen, e outros sintomas como urgência urinária e cansaço", explica. 


Hoje em dia, há mais formas de prevenir o câncer de ovário. Como por exemplo os exames como marcadores tumorais, que associados aos sintomas clínicos e exames de imagens podem ajudar no diagnóstico precoce. Ainda segundo a médica, também existem estudos genéticos que são feitos quando há alta incidência na família, além da cirurgia preventiva.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags